União Vegetariana Europeia

escrito/traduzido por : Mateus Mendes

Nota de imprensa Dia Mundial da Alimentação 16 de Outubro de 2006

Vegetarianismo: um símbolo de solidariedade para com as pessoas que passam fome

Hoje em dia 815 milhões de pessoas (17% da população dos países em desenvolvimento) passam fome. A percentagem não se alterou muito desde 1990 (20%) e teme-se que ainda estará a um nível inaceitável (11%) em 2015.

Esta situação precária de oferta alimentar insegura já tem consequências dramáticas em circunstâncias "normais", mas que magnitude alcançará quando as colheitas forem más?

As colheitas já são más neste momento: condições climáticas difíceis em diferentes partes do mundo especialmente na Austrália, Argentina e Brasil destroem as actuais colheitas; temperaturas altas continuadas e secas também ameaçam futuras safras, o que faz esperar uma queda acentuada no fornecimento global de alimentos. Assim, poucos víveres e preços altos trarão miséria a muitos.

O facto de a procura mundial de cereais exceder os limites de produção é uma consequência do crescimento constante do consumo de carne. Infelizmente não se reconhece esta simples verdade. A única resposta oficial ao desolador cenário são avisos; mas que ajuda prestam os alarmes quando não há indicação concomitante de uma saída segura?

Se alguma organização internacional ou nacional tivesse um plano para debelar a ameaça, este seria um excelente momento para o apresentar com vista a evitar o usual: pessoas ricas a dar cereais, milho e soja aos seus animais enquanto as pessoas que passam fome não têm meios para dar de comer aos filhos.

A União Vegetariana Europeia enfatiza que a ameaça das colheitas escassas demonstra uma vez mais a urgência de uma nova abordagem para travar a fome mundial: o vegetarianismo. Este modo de vida bondoso impede o esbanjamento de recursos relacionados com a produção de carne: 6000 quilos de cenouras, 4000 quilos de maçãs ou 1000 quilos de cerejas podem ser colhidos na mesma área de cultivo que presentemente produz apenas 50 quilos de carne.

Perante este desperdício flagrante são urgentes mudanças fundamentais. A carne é uma extravagância que principalmente do ponto de vista da humanidade e da solidariedade não pode mais ser satisfeita.

Renato Pichler, Presidente da União Vegetariana Europeia

Website: www.euroveg.eu, Email: evu@euroveg.eu

Nota: as 2007 EVU Talks, com o tema "The veggie answer to world hunger" (A Resposta Vegetariana à Fome Mundial) são uma plataforma de discussão acerca deste problema global.

 


© European Vegetarian Union - Contact form